Carreira como Desenvolvedor Back-end: por onde começar? Blog DNC

Ele possibilita o acesso ao histórico de versões e também facilita o desenvolvimento em equipe. No mundo da programação, é muito comum seguir padrões de projeto, que são chamados de Design Patterns. Embora trabalhe nos bastidores, o programador back-end precisa cuidar de fatores essenciais para o funcionamento de uma aplicação, como auto processamento, armazenamento, gerenciamento de dados e distribuição de conteúdo.

Uma das maiores vantagens de aprender com a Hora de Codar é que os conteúdos estão sempre atualizados com as últimas tendências e práticas do mercado. O desenvolvimento back-end é a espinha dorsal de qualquer aplicação ou website, responsável por gerenciar, armazenar e processar dados, garantindo que tudo na interface do usuário funcione corretamente. Historicamente, o backend evoluiu ao longo das décadas com o avanço da tecnologia. No início da computação, o backend era simplesmente o hardware do computador que armazenava e processava dados. Com a ascensão da internet, o conceito de backend se expandiu para incluir servidores web, bancos de dados e a lógica do servidor.

Quanto ganha um Desenvolvedor back-end concursado

Atualmente, também é comum que algumas empresas e startups de diferentes segmentos contratatem desenvolvedores para atuar internamente e fazer a criação e manutenção das suas páginas. Uma habilidade desejada para um é saber como utilizar bancos de dados, tanto relacionais quanto não-relacionais. Há diferentes frameworks para cada linguagem de programação, e cada uma tem suas próprias funções e vantagens. Alguns dos mais populares são Laravel e CakePHP para PHP, Django e Flask para Python, Spring Boot para Java e ExpressJS para NodeJS, entre muitas outras. Essas ferramentas facilitam muito o trabalho de um bootcamp de programação, e possibilita que o desenvolvedor tenha acesso a códigos e funcionalidades, e faça seu trabalho de forma mais rápida e descomplicada.

Ao acessar um site, o usuário observa se ele é eficiente, intuitivo e fácil de ser utilizado. Quando esse processo não encanta, a chance de alguém não retornar ao site é grande. Portanto, é indicado conhecer linguagens de programação como Java, TypeScript, Node.js, PHP, Python, etc. Além disso, possíveis problemas devem ser antecipados e evitados antes mesmo que aconteçam.

Segurança de dados

Pode parecer muita coisa, mas tudo isso pode ser estudado, e com a prática, você irá se familiarizando aos poucos. Em primeiro lugar, esse profissional deve ser organizado, paciente, comunicativo, atento e ter habilidade para a resolução de problemas, já que será necessário pensar em soluções práticas e testar ideias quase todos os dias. Existe ainda o desenvolvedor Full Stack, que pode fazer tanto o trabalho de Back-End quanto de Front-End.

Um backend developer precisa ter um bom entendimento de bancos de dados relacionais e não relacionais, bem como conhecimento em otimização de desempenho e segurança. Com o crescimento da demanda por Back-End, crescem também as opções de onde esse profissional pode atuar. A maior parte das oportunidades é oferecida por empresas de tecnologia e agências multidisciplinares, que precisam desses serviços para o desenvolvimento de sites e aplicações.

Ambientes de Desenvolvimento (por exemplo: IDEs)

Cientistas de dados que podem transformar esses dados brutos em insights valiosos são altamente valorizados e bem pagos. Em última análise, escolher entre frontend e backend não deve ser uma questão de dificuldade, mas sim uma questão de onde seus interesses e paixões residem. Cada um tem seus próprios desafios e recompensas e, com o estudo e prática adequados, ambos podem ser dominados. Estruturas de dados, como arrays, listas ligadas, pilhas, filas, árvores e gráficos, organizam e armazenam dados. Embora possam trabalhar em ambos os lados, um desenvolvedor full-stack pode não ser capaz de substituir um desenvolvedor especializado em frontend ou backend em termos de proficiência e especialização em áreas específicas.

O mundo do Front End possui diversas tecnologias e está sempre evoluindo, se você quiser conhecer ele desde a base, pode ler os artigos sobre começar no desenvolvimento Front-End e como estudar do zero o Front-End. Front End ou Back End developer são termos para diferenciar onde uma pessoa que programa https://www.varginhaonline.com.br/206522/curso-de-desenvolvimento-web-voce-preparado-para-o-mercado-de-trabalho.html acaba se especializando. Também é graças aos servidores que existem bancos de dados, bancos de memória e redes de processamentos de grande ou pequena escala para uso doméstico e empresarial. Qualquer site, por mais simples que seja, precisa de um banco de dados para armazenar suas informações.

Quais as habilidades e competência o Desenvolvedor Back-end deve possuir?

É importante ressaltar que, independente do curso escolhido, a pessoa que deseja tornar-se um desenvolvedor back-end deve dedicar-se no estudo das linguagens de programação, estrutura de dados e banco de dados. Com a demanda crescente por aplicativos e serviços online, esses profissionais continuam a ser uma força motriz na inovação e na manutenção de sistemas robustos e eficientes. A carreira oferece não apenas estabilidade e remuneração atraente, mas também a oportunidade de resolver problemas complexos e contribuir para o avanço tecnológico. Enquanto o desenvolvedor back-end foca no servidor, banco de dados e aplicação, o desenvolvedor front-end trabalha com a interface e experiência do usuário. Ambos os papéis são complementares, mas requerem conjuntos de habilidades distintos – o back-end com foco em lógica e arquitetura de dados, e o front-end em design e interatividade. Dominar esses tópicos é essencial para se tornar um desenvolvedor backend com vastos conhecimentos.

  • Venha conhecer os cursos da Hora de Codar e dê o próximo passo na sua carreira de desenvolvedor.
  • A seguir, falaremos sobre a dinâmica do back-end e com se aprimorar na carreira.
  • Entre os focos de estudo, convém mencionar aquelas linguagens de programação importantes, tais como PHP, Ruby, Node.js e Java.
  • Com relação ao armazenamento de dados, o front-end é quem faz a interface, mas é o back-end que os registra em um banco.
  • Além do conhecimento em lógica de programação e uso correto de softwares, o desenvolvedor back-end deve ter uma noção abrangente dos projetos em que está envolvido.